Terça-feira, 03 de Março de 2009

 

 

 

 

D. Pedro I, adoeceu, gravemente, em Estremoz, vindo a morrer a 18 de Janeiro de 1367com 46 anos, de idade que o colocava dentro parâmetros da esperança de vida média para o sexo masculino.

O episódio da vida do rei: adoecia, teve uma dor, lembra-se de perdoar a Lopes Pacheco, redige o testamento de que se citam as dádivas aos filhos e morre numa segunda-feira, não estando perto o herdeiro, Fernando, pelo que o corpo só vai a enterrar na quarta-feira seguinte, para Alcobaça.

No texto do testamento são conhecidas as quantias que deixou e que assim ficaram distribuídas: para os seus filhos com D. Inês de Castro, o rei deixava a quinta do Canidelo, outrora de D. Inês e onde, possivelmente passaram algum tempo juntos, e uma alta soma em libras para cada infante, onde se destacam as cem mil libras para o «casamento» destinadas a D. Beatriz.

Por exemplo, é possível avançar com algumas datações relacionadas com a sua construção: deve ser considerado um intervalo de tempo entre 1358 e 1361 como o período onde se situa a construção do túmulo de D. Inês.  

 

Pesquisa realizada por:

Ângela Cavém nº 2

Bernardo Bento nº 3

Joana Marta nº 8



publicado por amaltinhadealcobaca às 18:18
Este blog foi criado no âmbito do Concurso Inês de Castro promovido pelo Plano Nacional de Leitura e pea fundação Inês de Castro.
...mais sobre nós!
Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
14

18
20
21

22
23
24
25
26
27
28

30
31


Arca dos Segredos
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO